Reflexão Semanal

24.04.2020

Hoje o cenário brasileiro apresenta uma grande preocupação com a saúde física e emocional, devido a pandemia mundial.

A importância do isolamento social das famílias, em especial com cuidado para os idosos, é fundamental para prevenir a contaminação, além de ressaltar que os jovens e crianças, devem permanecer em casa, pois são os grandes “carregadores” do vírus.
Especialistas salientam também, o cuidado como o isolamento, pois pode afetar a saúde mental do idoso e que, por conta disso, recomenda rápidas caminhadas ou banho de sol, mas sempre em locais abertos e sem contato com outras pessoas.
A quarentena é necessária, devido aos poucos números de leitos em Unidade de Terapia Intensiva nos hospitais, tanto publico quanto privado.
Se as pessoas não fizerem nada e continuarem a agir normalmente, a rede de saúde não conseguira atender a todos, e isso trará uma grande problemática no que diz respeito a população maior de 60 anos, que é quem esta mais vulnerável ao vírus.
O isolamento traz insegurança, causa ansiedade e por ultimo pode levar a depressão.
Assim podemos observar que nosso cérebro tem a capacidade de desenvolver mecanismo emocional, para lidar com o limite. Criando estrutura para o enfrentamento das diversidades emocionais e culturais (isolamento COVID 19). Porém todo processo é gradual, o movimento cerebral dá-se de acordo com a disponibilidade emociona.
O apego que se estabelece no dia a dia é necessário para a sobrevivência relações sociais que mantemos com os vizinhos, com colegas de trabalho, familiares que residem próximos). Quando esse apego é quebrado de maneira súbita, causa sentimento de luto. Sente-se raiva, negação (de aceitar o covid 19 como um organismo que causa danos a saúde e a vida), a ansiedade (Da mudança, da organização anteriormente adaptada), raiva, angústia. Mas o traz a superação e a aceitação e a elaboração da nova realidade.
É muito importante perceber que todo esse processo é gradual, se não possibilidade de manter a rotina anterior, já que o contexto social atual é outro, adapta-se e segue digerindo o processo sem culpa.

O material foi desenvolvido pelas profissionais: Silvia Adolfo (Assistente Social) e Cristina Nahun (Psicologa).

Está disponível no facebook da entidade.