Reflexão Semanal 

05.06.2020

 

Aproxime-se mais

Tente sentir do que um abraço é capaz. Quando bem apertado, ele ampara tristezas, combate incertezas, sustenta lágrimas, põe a nostalgia de lado. É até capaz de diminuir o medo. Se for cheio de ternura, ele guarda segredos e jura cumplicidade. Um abraço amigo de verdade divide alegrias e fica feliz em comemorar, o que quer que seja… Abraços são pequenas orações de fé, de força e energia. Há sempre alguém que quer ser abraçado e não tem coragem de dizer. Abrace-o. O pior que pode acontecer, é ganhar de volta um sorriso de carinho, ou quem sabe, uma palavra sincera. Você vai descobrir que ninguém está sozinho e que a vida, pode ser um eterno céu de primavera. Aproxime-se mais e tente sentir do que um abraço é capaz!”
autor desconhecido

O que um abraço é capaz nos dias atuais? Como você esta se sentindo sem poder abraçar seus pais, seus avós e pessoas que fazem parte da sua vida e que estão distante?
Estamos aprendendo o valor de um abraço: esse gesto simples, a muito tempo esquecido, tem despertado nas pessoas a solidariedade, a generosidade, a ternura, a bondade, o olhar para quem estava invisível.
Um gesto que sempre esteve presente tanto em ocasiões de muita alegria, como de tristeza, o abraço é um carinho que afaga a alma. Poder abraçar um familiar, um amigo quer gostamos muito, tanto para comemorar uma grande vitória ou para consolar alguém que esteja triste por algum problema, é uma forma de demonstra sentimentos sem precisar usar palavras. stram o poder do abraço e seus benefícios trazem inúmeros benefícios e podem garantir saúde emocional e física.É importante que você escute as pessoas, às vezes o ato de escutar pode trazer paz pra quem precisa desabafar, não se preocupe em achar soluções, elas querem apenas que você as escute.
Enquanto não podemos abraçar quem amamos, as palavras abraçam e acolhem, nos deixando aconchegados. Sejamos ternos mesmo de longe. Ligue, envie mensagens, vídeos. Na ausência do abraço físico, expresse o afeto mesmo a distância. Não devemos nos sentir culpados pelos abraços que não deu e sim se preparar para repetir abraços mais vezes quando tudo isso passar.

Sintam-se abraçados

Cristina Nahum Rodrigues - Psicologa
Silvia Adolfo - Assistente Social