Reflexão Semanal
28.08.2020


Perdão

Perdoar é um ato de abandonar a mágoa e o ressentimento, perdoar é deixar de ter sentimento de vingança, perdoar é permitir que aquele que foi perdoado, de alguma forma, possa se aproximar. Não se trate de se tornar o melhor amigo, mais sim de restaurar algo. Perdoar, não ´se simplesmente desconsiderar uma dívida, perdoar é assumir a divida, para perdoar é necessário pagar um preço, é uma atitude, é uma decisão! Ninguém sente vontade de perdoar.
Podemos ver o perdão como se você estivesse tratando uma ferida infeccionada, ninguém que abrir a ferida e higienizá-la, causa desconforto e dor, mas assim que o curativo é retirado inicia o processo de cicatrização. Cada dia a ferida melhora um pouco e a dor vai diminuindo. Surgindo um outro significado daquela cicatriz, isso pode doer muito, mas assim que é feito, a ferida se fecha e cicatriza. Assim, perdoar não é esquecer o que aconteceu, afinal de contas você tem uma cicatriz, contudo você não tem mais dor, aquela ferida já não te faz sofrer.
Dessa forma, o perdão é voluntário e gradativo. Surge com a disponibilidade de sentimentos. É um ato libertador para quem perdoa e para quem é perdoado. Para quem perdoa abre possibilidades de coisas novas e boas. Para quem é perdoado oferece a resignação. Os atos bons aumentam a resistência a comportamentos negativos.
Nas inúmeras situações de desentendimento do ser humano, assim como nas brigas nos relacionamentos, trabalho, escola,  família e nos ambientes sociais é importante pensar sobre uma de nossas grandes falhas: a falta de um "Me Perdoa". Reconhecer que somos sujeitos à  falhas, é um dos fatores que equilibra a  harmonia   e o convívio com nossos pares. O perdão é o que nos impulsiona a sermos melhores, tanto quando pedimos a quem ofendemos, ou quando perdoamos aquele que nos motivou tristeza; perdoar é um caminho que nos cura e traz paz.
A caminhada na existência deve ser em direção ao progresso.


Cristina Nahum Rodrigues - Psicologa
Silvia Adolfo - Assistente Social