Reflexão Semanal 

01.09.2020

 

ESTÉTICA E SOCIEDADE

Você já se olhou no espelho hoje?

Você sabia que se valorizar é o primeiro passo para o sucesso?

A sua aparência diz respeito a valores estéticos, que impõe seu jeito de vestir, seu jeito de se maquiar, seu cabelo e também a sua estrutura corporal, refletindo na formação de sua identidade, sua individualidade.

Quem disse que ser magra ou ser obesa te torna mais bonita ou feia? Você sabia que na idade media as mulheres corpulentas eram as mais abordadas e valorizadas pelos homens?

Há pessoas que procuram fazer de sua estética escolhas extremas, contemplando valores absurdos impostos pela sociedade, sem preservar a sua saúde. Esse indivíduos estão sempre em busca de novas metas corporais como finalidade específica, visando atender o que é imposto pela televisão e cinema no seu contexto. Essa mesma mídia lança falsos valores de beleza e saúde, que fogem da realidade pessoal, levando o sujeito a buscar novas metas corporais, acreditando nos falsos valores de beleza que fogem da realidade, repercutindo de maneira não saudável, no comportamento do ser humano. A sociedade impõe regras e padrões de beleza, contudo se esquece de que o ser humano é único, não tem como padronizá-lo, e que essa diversidade pode provocar problemas sérios de saúde físicos e emocionais, como a anorexia e a bulimia, compulsão alimentar, obesidade mórbida, regimes alimentares extremos, interferindo na alimentação saudável, como também o excesso de exercícios físicos que fazem perder ou ganhar massa muscular de forma descontrolada que levam a um efeito de ausência de autoestima que algumas pessoas têm de si mesmas.

Esse cenário imposto pela mídia interativa, trouxe uma nova concepção de mudança física, levando o sujeito a deixar de se expor em fotos, vídeos ou presença em algum evento, perdendo a referência de diversão, ficando focado na imagem estética com um padrão irreal.

Os valores estéticos são importantíssimos para autoaceitação, entretanto devemos respeitar nossa aparência, nosso corpo e nossa mente, refletindo na nossa individualidade, bem como na qualidade desta vida, devemos nos valorizar enquanto seres humanos, a melhoria da qualidade devida não deve estar atrelada a imposições ditadas por modismos radicais.


Cristina Nahum Rodrigues - Psicologa

Silvia Adolfo - Assistente Social