A Importância dos Relacionamentos

Reflexão Semanal 

06.11.2020

A IMPORTÂNCIA DOS RELACIONAMENTOS NA SAÚDE FÍSICA E MENTAL

A  saúde física e mental do ser humano, esta associada aos seus  relacionamentos sociais. Ter bons relacionamentos sociais são fatores primordiais  para que se possa manter  boa saúde física e mental.  

Ter amigos, relacionar-se com vizinhos,  estar próximo aos familiares podem trazer muitos benefícios para a saúde. Segundo a estudos no campo da  Sociologia, as relações sociais são compreendidas como um conjunto de interações entre pessoas ou grupos sociais, seja em casa, na escola, na sua vizinhança, nas redes sociais ou  no trabalho, representando as diversas maneiras de interação que ocorrem nos diversos espaços de convivência social, quer seja de forma natural ou motivadas por interesses comuns, individuais ou grupais. 

Segundo pesquisa de Susan Pinker,  em  seu livro The Village Effect: How Face-to-Face Contact Can Make Us Healthier and Happier, a mesma defende que o  contato pessoal pode trazer benefícios a saúde física e mental, tornando as pessoas mais amáveis e felizes. Nesse livro,  Pinker  narra suas descobertas em  viagem que fez a Ilha de Sardenha, na Itália, onde aponta que, há 10 vezes mais idosos com mais de cem anos do que a média da América do Norte. Pinker observou uma população extremamente unida, que respeita os idosos, colocando-os em uma posição de prestígio.

 Outro estudo que defende a tese sobre a importância de laços sociais vem sendo defendido pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Há o desenvolvimento de pesquisa desde o ano de 1938, onde pesquisadores acompanham milhares de voluntários para registrar quais possibilidades que podem tornar um indivíduo saudável ao longo da vida. Após mais de 80 anos de observação, os pesquisadores perceberam que, não são os aspectos financeiros ou popularidade pessoal, mas que os relacionamentos sociais é que proporcionam alegria, satisfação e sensação constataram que os fortes laços afetivos ajudam a estender a expectativa de vida e desaceleram o declínio físico e cognitivo.

Ao mesmo tempo, observaram que pessoas solitárias tendem a ter diminuídas suas expectativas de vida . Pesquisa da Association for Psychological Science, publicaram em 2015, que os solitários tinham entre 26% e 33% a mais de risco de morrer nos próximos sete anos. 

Uma estrutura familiar e social acolhedora tem reflexo positivo na recuperação da saúde física e mental do ser humano.

E em caso de isolamento social forçado (como a quarentena em virtude da Covid-19), a saúde física e mental pode ser tão abalada pela solidão quanto pelo consumo de álcool, cigarro e gordura.

 O sentimento de felicidade que sucede um momento de lazer em família, uma noite de confraternização  com os amigos, é explicado pela liberação de substâncias no cérebro, como a oxitocina, “o hormônio do amor”, que age como uma espécie de calmante e produz a sensação de conexão com aquelas pessoas. 

Existe a hipótese de que as boas relações sociais são tão benéficas para a saúde física e mental por inibir o hipotálamo posterior. A zona é responsável pela secreção dos hormônios ligados ao estresse, aumento da pressão arterial e aceleração do ritmo cardíaco. 

Ao mesmo tempo, quando estamos em contato com pessoas amadas, os níveis de endorfina, ligado ao prazer, aumentam. Assim como a produção de neurotrofinas, proteínas que estimulam o surgimento e a sobrevivência dos neurônios.

Pensando em colocar a teoria em prática? Confira algumas dicas para facilitar a conexão com as pessoas:

•   Chame um amigo para almoçar pelo menos uma vez por semana;
•    Não troque o ao vivo pela interação digital (Quando for possível);

•    Faça uma lista das pessoas que você tem o desejo de ver regularmente;
•    Cultive relacionamentos no trabalho;

•    Seja um bom ouvinte.

Fonte: https://drogariasantoremedio.com.br/saude-fisica-e-mental/


Cristina Nahun Rodrigues - Psicóloga

Silvia Adolfo - Assistente Social