Dia da Consciência Negra

"Nossa pretensão é de uma sociedade não racial. Não é uma questão de raça; é uma questão de ideias.” (Nelson Mandela)

Entende-se por Consciência Negra a compreensão da importância da cultura e da história dos negros no mundo. O dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro em todo país. Esta data surgiu em referencia ao dia da  morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo de Palmares, que lutou pela liberdade e preservação da cultura africana.

Zumbi os Palmares foi o último dos líderes do Quilombo dos Palmares, localizado no atual estado de Alagoas, durante o período colonial. Filho de africanos escravizados,lutou para que o quilombo não fosse destruído pelos colonizadores. Em 1695, foi assassinado pelo capitão Furtado de Mendonça, a mando de Domingos Jorge Velho. Ele foi decapitado e sua cabeça ficou exposta em praça pública.

Ao longo do século XX existiram vários movimentos que denunciavam o racismo no Brasil.  Igualmente, reivindicavam maior participação da população negra nos âmbitos artísticos, intelectuais e políticos. Assim, percebemos que os movimentos de resistência e pela valorização da cultura e da herança negra sempre existiram no Brasil.

A data, suscita questões sobre racismo, discriminação,  igualdade social, inclusão de negros na sociedade e a cultura afro-brasileira,  promoção de fóruns, debates e outras atividades que valorizam a cultura africana.

O Brasil passou a comemorar esta data, diante da promulgação da lei nº10.639 de 9 de janeiro de 2003, que em seu Art. 79-B, que incluía o dia 20 de novembro como o “Dia Nacional da Consciência Negra” e com a  Lei nº 12.519 de 10 de novembro de 2011, essa data foi oficializada.  O dia da Consciência Negra não se constitui feriado nacional, contudo em mais de mil cidades passou a ser  feriado municipal.

A celebração faz parte do calendário escolar desde 2003 e foi instituída em todo Brasil em 2011.

 Cristina Nahum Rodrigues - Psicologa

Silvia Adolfo - Assistente Social