POR QUE MENTIMOS?

POR QUE MENTIMOS?

A mentira faz parte da história da humanidade. Pode ser difícil admitir, mas todos nós mentimos, alguns mais frequentemente, outros só mente em algumas situações. Muitas vezes mentimos para manter as aparências, para não magoar alguém próximo , para causar boa impressão, para evitar conflitos e confusão, para não ter responsabilidade diante de um problema, para ocultar crimes, para faltar ao trabalho, e um vastos números de interesses.

As mentirinhas do dia a dia fazem parte da vida cotidiana e da sociedade: quem nunca contou uma mentirinha para se livrar de uma bronca, ter algum benefício ou evitar machucar alguém querido?

Existem pessoas que não conseguem se relacionar sem mentir ou tem o hábito de usar as mentiras para obter algum tipo de benefício. Em geral, pessoas com esse traço de personalidade não medem consequências para sustentar suas mentiras e não se preocupam se alguém acabará se prejudicando por conta do seu comportamento.

A mentira é uma conduta aprendida ao longo da nossa existência: ninguém nasce sabendo mentir, ela vai se desenvolvendo durante a vida. Nenhuma pessoa nasce mentirosa, esse comportamento desenvolve-se ao longo dos anos. Crianças e jovens que adquirem o habito de mentir e tirar pequenos benefícios desse ato, voltam a conservar essa conduta pela vida adulta, por crerem que isso pode gerar conveniências.

A maioria das pessoas mentem por medo, mas cabe lembrar que a mentira interfere no julgamento racional, no relacionamento familiar e especialmente social.

A mentira pode gerar prejuízos aos órgãos públicos e privados, acabar com relacionamentos, prejudicar pessoas a nossa volta e pode ate tirar a vida de quem amamos. Então, por que mentimos? Porque funciona para nós. Temporariamente, pelo menos. Mas com o tempo, contar a verdade é sempre o melhor caminho. Não é apenas moralmente bom, mas também vai tornar a sua vida muito mais simples.

Cristina Nahum-Psicologa

Silvia Adolfo-Assistente Social